Segurança O “Homem” precisa de seguranças!

O Código de Hamurabi 1700 A/C já previa proteção para os mais fracos e freios para a autoridade. Temos histórico e farto material que corroboram os sentimentos de humanidade quando se referem aos princípio básicos do direito dos homens; os gregos desenvolvem o conceito da liberdade, como expressão máxima da dignidade humana, baseada na ideia da igualdade; o Cristianismo, considerando o antropomorfismo Deus e homens, criados a sua imagem e semelhança, tem um papel fundamental na sociedade ocidental moderna em se tratando da igualdade entre os seres humanos.

Filosofias, filosofias e filosofias. Hobbes, em o “Leviatã”, teoriza que o homem já nasce mau, sem condições naturais de viver em sociedade, obrigando-se a se submeter a um Estado autoritário que dite as regras e as normas de convivência. Será possível?

No caso da segurança então não podemos olvidar da experiência pensadora de Hobbes, de que pela primária propensão humana para o mal, sugere-se uma certa ênfase na quase arbitrariedade do Estado para que se contenha da maldade e possa viver em sociedade.

Certo é, que somente são suposições com as quais podemos considerar para uma possível solução quando o problema é segurança pública.  Se nos consentirmos a ao menos pensar de forma “não politicamente correto”, já estaremos evoluindo para que a segurança seja eficaz. Ora, se as formas vigentes de proteção aos Direitos Humanos não deixam brechas para sua eficácia, de formas que a todos alcance, então o porquê não nos utilizarmos para o raciocínio, a forma do politicamente incorreto?

Por mais que não queiramos, abrimos os jornais, acessamos a rede mundial, conversamos com vizinhos e amigos, olhamos para a rua, viajamos para outra cidade, vamos para o trabalho entre outras ações do nosso dia-a-dia e nos deparamos com a mesma problemática de sempre. Falta de segurança, crimes entre os mais variados e mais, “humanos”, trucidando seu próximo com crueldade até a morte. Porventura teremos que nos reinventar? Somos passíveis de reumanização?

Hobbes tinha razão. O homem é um ser incorrigível, ruim em sua essência e deve ser policiado e se policiar sempre, para que se mantenha o mínimo de ordem enquanto vive em sociedade.

Resumindo, o “homem” precisa de seguranças.

Categorias: Notícias,Notícias Gerais,Trânsito e Segurança