Proteja seu dinheiro. Não caia no conto do vigário.

O conto do vigário é uma expressão muito utilizada para apontar que alguém foi enganado. Cair na arapuca dos vigaristas que a cada dia produzem novas modalidades de golpes, ainda é mais comum do que possamos imaginar. O mais espantoso é que mesmo na era da informação, com toda mídia divulgando diariamente as mais variadas ciladas preparadas pelos malandros, ainda há muitas pessoas que caem nas armadilhas. Impressiona também que a maioria dos golpes acontecem pela facilitação da pessoa enganada e em plena luz do dia. Nas espécies de golpes onde há contato direto, os estelionatários geralmente escolhem pessoas de meia idade ou idosas, por serem mais frágeis, com menor mobilidade física e tempo de reação, ou até por serem mais crédulos ou inocentes. Ingenuidade ou ganância? Ambos podem estarem certos, aliada a total falta de atenção das pessoas enganadas. A falta de atenção pode estar relacionada a sua inocência, uma vez que caem facilmente nos artifícios dos golpistas que se utilizam de toda astúcia para persuadir e convencer sua presa, enquanto a ganância aparece na medida que lhe são oferecidas vantagens pelos vigaristas. Neste sentido, os golpes mais comuns praticados são o do bilhete premiado e o de falsos sorteios. Nesta modalidade a vítima é comumente abordada pelo celular de que foi sorteado e deve enviar um depósito para a conta que o farsante indica. Uma forma de facilitação, e aí não classificaria como golpe, mas sim, furto, é as pessoas deixarem a senha da conta bancária junto com o cartão. Geralmente, pessoas muito próximas ou até mesmo familiares podem apoderar-se do cartão e efetuarem saques. Uma dica é jamais deixar a senha e cartões juntos. Se não puder decorá-la, deixe em lugares diferentes. Há também os golpes praticados pela INTERNET, principalmente com mensagens por e-mails falsos (spam). Ao abri-lo, seu computador pode ser infectado por vírus. Procure não abrir mensagens duvidosas e em momento algum dê informações pessoais por E-mail ou por telefone. Resumidamente, além dos citados há diversas categorias de golpes como o golpe do motoboy, do falso empréstimo, do falso mecânico, falso sequestro, do boleto falso, da falsa doação, entre outros. A melhor forma de prevenção é desconfiar de tudo e estar sempre atento e a melhor proteção é estar bem informado. Quando a vantagem oferecida é muito grande, fora dos padrões da normalidade, desconfie e não se encabule em procurar alguém mais esclarecido para tirar a dúvida. Cabe as pessoas mais instruídas e bem informadas, orientar e informar as pessoas de que estão sendo lesadas.

Texto: Albino Martini
Foto: INTERNET

Categorias: Notícias,Trânsito e Segurança