O que quero ser quando crescer?

Baseados na pergunta titulo, hoje iremos conhecer um pouco mais sobre a vida e a profissão da advogada Lucy Mari de Almeida Novicki. Segundo ela, desde criança, enquanto brincava, já se via como comerciante ou advogada.  Chegou a exercer as duas, mas foi esta última que escolheu como profissão e é nela que deseja permanecer. Foi por essa forma simples de ver as coisas, mas arrojada de empreender, que nos motivou a fazer essa matéria.

 

Quando tenho dúvidas relembro uma frase de Willian Shakespeare que diz: “Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o que, com frequência, poderíamos ganhar, por simples medo de arriscar”.     Então meu conselho é: acredite e vá!

 Evva: Percebe-se que você tem uma ligação forte com a família. Vocês são em  quantos irmãos?

Lucy Mari:  Sim, somos  muito unidos.  Nossos pais passaram esse espirito de família que  acaba sendo forte em mim. Eu fico bem sabendo que todos estamos bem.  Somos em quatro irmãos, Eu Lucy Mari, Márcia, Rejane e Jair Jr.

Evva: Continuando a falar de família. Você é uma mulher de personalidade, criou os filhos e uma já é formada. Foi duro dar essa educação sem perder o foco do trabalho?

Lucy Mari: Acredito ser este o meu melhor papel e  me esforço para passar aos  meus filhos valores e princípios que foram passados a mim pelos meus pais. Apesar do trabalho, tenho uma preocupação e dedicação especial com meus filhos Letticia, Fabricio e Luiza, os quais cresceram integrados com o meu trabalho, fato este que levou minha filha Letticia a escolher a advocacia como profissão. Não crio os meus filhos para serem herdeiros, sempre ensinei o valor e a importância de cada conquista, mas vivemos um dia de cada vez, superando os obstáculos quando acontecem e tentando nos superar e melhorar a cada dia, afinal a vida é feita de ciclos.

Evva: Seu início de carreira foi fácil?

Lucy Mari: Não tenho carreira, tenho uma história de vida construída no dia a dia. Comecei cedo trabalhando no comércio. Após formada em contabilidade trabalhei também nesta função. Após o casamento retornei ao comércio até me formar em direito. Há mais de 12 anos venho exercendo essa profissão, na qual aprendo algo novo todos os dias.  Sempre que fui iniciar algo novo e sentia medo dos desafios, minha mãe, Lourdes me dizia: vai em frente sem medo, porque se tudo der errado estaremos aqui pra te ajudar. Esse apoio foi fundamental. Gosto do meu trabalho e cada dia penso que ainda preciso melhorar muito. A vida é assim: aprendizado e crescimento constante. Nada é estático, a vida muda constantemente e meu esforço diário é também é no sentido de me adaptar a essas mudanças e acompanhar o ritmo acelerado dos mais jovens com quem aprendo muito! Afinal em meu trabalho convivo com uma geração mais jovem, que me faz quebrar paradigmas o tempo todo.

Evva: Você reformou um prédio antigo da cidade onde até alguns anos atrás era o escritório de uma grande empresa em Fraiburgo. Qual foi o motivo da escolha por este local?

Lucy Mari: Na década de 80 minha família passou a residir próximo da casa aonde hoje temos instalado nosso escritório. Passei parte da minha infância nos arredores e  a escolha de transformar aquela casa em meu local de trabalho não poderia ser uma escolha mais feliz! Aquela estrutura foi construída na década do meu nascimento.  Posso afirmar que foi um presente recebido 46 anos depois!

Evva: Essa paixão pela casa se tornou visível quando visitei o espaço pela primeira vez depois de reformado. Considerando que é uma estrutura antiga: Você teve muito trabalho para reformá-la?

Lucy Mari: O local foi originariamente sede do grupo Renar e continuou sendo por mais de 30 anos. Essa casa merece ser bem cuidada e visitada porque faz parte da história de nossa cidade. Construída em 1969, a reforma foi necessária, pois o prédio ficou muitos anos desativado. É um lugar muito lindo, mas como toda construção sempre precisa de reparos. Aqui não foi diferente, porém precisou apenas de alguns cuidados, considerando o excelente trabalho arquitetônico realizado na época. E também queríamos dar um toque pessoal na casa, mas meu tempo era curto.  Em apenas quarenta dias eu querida mudar em definitivo, pois estava ansiosa para ver tudo instalado, além de que meu escritório precisava de uma espaço maior com urgência.

 

Evva: A casa foi construída nos anos 60, numa época que a arquitetura era diferente de agora. Como você trabalhou essa questão, misturando o moderno e o antigo?

Lucy Mari: Arquitetamos cada detalhe e eu acompanhei a obra que, naquele curto espaço de tempo, contou com profissionais de todas as áreas trabalhando ao mesmo tempo sem parar. Fiz questão de preservar pequenos detalhes da arquitetura, como azulejos, interruptores antigos e decorados, revestimentos, enfim, uma reforma grandiosa mas ao mesmo tempo mantendo ao máximo do original para fazer com que o amplo escritório ficasse com um ar acolhedor, sem perder a austeridade de outrora. Todos que acompanharam a reforma não acreditavam que tudo ficaria pronto em tão pouco tempo, mas aconteceu e 40 dias após o início das obras já estávamos trabalhando no local.

Evva:  E para manter esta estrutura sem perder a forma original dela dá muito trabalho?

Lucy Mari: Penso que outros apaixonados pela arquitetura e história dessa casa a consideram um patrimônio da cidade. E eu, assim como meu falecido pai; segundo afirmam os familiares; não paramos nunca de reformar e construir. Gosto dessa conexão com o antigo e o moderno. Pensando nisso, desde que entrei na casa, estamos sempre restaurando, pintando, substituindo materiais, remodelando espaços para adequar às necessidades, mas sempre com cautela… Quero manter ao máximo as características originais. Meu próximo objetivo é restaurar a fonte e ainda sonho em resgatar a Santa que era anualmente instalada aqui em frente, para que a casa volte a ter aquele brilho de Natal.

Evva: E esse seu lado solidário?

Lucy Mari: Esse é meu perfil, as acredito que a minha profissão contribui para que pensem isso de mim. Na minha família as vezes me dizem interfiro demais na vida dos outros, contudo gosto de me envolver na vida das pessoas, isso me traz uma sensação de alegria e sensação de dever cumprido! Todos temos capacidade para fazer algo pelo próximo e com isso fazermos nossa parte para uma sociedade mais justa. Conto com uma equipe maravilhosa que está comigo no mesmo espírito e tem dado certo!

 

Depoimento de Jair Jr

A Mara sempre foi uma pessoa muito criativa e empreendedora. Lembro com saudade de quando era pequeno e ela resolvia montar um laboratório para eu fazer experiências. Ela se empenhava naquilo mais do que ninguém, movia céus e Terra até deixar tudo ao gosto, seu gosto. Ela sempre trabalhou desde muito cedo no comércio local e isso fez com que aprendesse a lidar com pessoa. Tenho certeza que isso fez a diferença no escritório dela desde o primeiro dia. Recordo da sua insegurança nos primeiros dias como advogada com saudade, pois a partir do primeiro ano as metas dela sempre foram muito mais altas do que todos poderíamos imaginar. Confesso que isso às vezes me deixa até preocupado, tendo em vista que grandes objetivos requerem grandes esforços. Sabemos que ela é mãe de família e também precisa de tempo pra cuidar dos seus, contudo com ela tempo tem de ser criado. Não são poucas as vezes que estamos na casa de nossa mãe tomando um café e ela com o celular na mão dando orientações, respondendo perguntas, escrevendo partes de petições, dentre outras tarefas. Ela é assim. Nós é que temos de nos adaptar. Uma outra qualidade que chama muito a atenção de quem a conhece é o lado humano. Frequentemente a vejo se colocando no lugar do cliente pra tentar achar a melhor saída para a situação, mesmo que isso importe em perder o sono, discutir o caso com outras pessoas, etc. Posso afirmar que a Mara se entrega para o que está fazendo de verdade. Isso faz com que as pessoas criem vínculos extremamente fortes com ela e com sua equipe. Somando tudo isso o resultado é este que vemos no dia a dia: pessoas físicas e jurídicas satisfeitas com o trabalho desenvolvido e como prêmio de tudo isso o sucesso!

Depoimento Márcia Almeida Miglioli 

A palavra que vem à mente é generosidade, não é de agora, isso vem desde a infância, ela estava sempre dividindo comigo o que ganhava de presente e queria agradar a todos.  De uma criatividade que lhe é peculiar, tinha as melhores ideias nas brincadeiras, na escola, em casa, para tudo achava uma saída, uma solução. Fomos criadas como gêmeas, minha mãe confeccionava as roupas e como tínhamos pouca diferença de idade, parecíamos gêmeas, isso perdurou pela infância, tudo era comum, nós   achávamos divertido.

Na adolescência a Mara começou a demonstrar a sua personalidade exuberante, como é até hoje.  Bom, falar da Mara daria um livro… Quero resumir e dizer que admiro a sua garra, determinação e entusiasmo pela vida, sou sua incentivadora, pois compartilhei seus anos de estudos e não foi por acaso que hoje ela se destaca como profissional. Foi por merecimento, lembro dos tempos na faculdade e exame da ordem, a correria com filhos pequenos e sempre com um sorriso no rosto ajudando e motivando seus colegas para passar no exame. O resultado está aí, não mediu esforços para realizar seu sonho de montar o seu escritório, seu jeito cativante e dedicada a consolida como empreendedora de sucessos.

PARABÉNS DR A. LUCY MARI, MUITO OBRIGADA POR SER MINHA COMPANHEIRA E POR TUDO O QUE FEZ POR NÓS, CONTE SEMPRE CONOSCO.  

De seus irmãos que te admiram muito. Márcia Almeida Miglioli  & Jair Jr

Categorias: Destaques,Notícias Gerais,Revista Evva