Polícia concluiu o relatório sobre a morte de Cleiton

 

Observação: Texto na íntegra com os termos técnicos da PM mantidos:

 

Com o fim precípuo de satisfação aos princípios constitucionais da Administração Pública, mais especificamente atendendo aos princípios da publicidade e transparência, vimos através desta nota, dar amplo conhecimento a sociedade Fraiburguense de fatos e atos no tocante a ocorrência do dia 03/07/2017 em que consta dos registros dos sistemas de informação um “encontro de cadáver” em área de canteiro de obras da construção de loteamento urbano no Bairro Portal desta cidade.

A partir do conhecimento deste Comando sobre o fato de se ter encontrado um de cadáver na proposição retro elencada, determinou-se a instauração de Inquérito Policial Militar com o fito de apurar a ordem e grau de responsabilidade de militares no tocante a este evento.

Deste procedimento de Polícia Judiciária Militar, já concluso, remanesceu de seu relatório que já foi encaminhado para as instancias militares superiores, o seguinte:

Que em noite anterior ao fato acima gravado, restou registrado o acompanhamento e posterior acidente de transito envolvendo o VW Gol Placas IET 3075 de São José – SC, conduzido por Cleiton da Silva.

Que o condutor do veículo que encontrava-se em atitude suspeita e com automotor não licenciado e em condições que claramente demonstrava abandono e displicência, demonstrando-se expressamente a necessidade e a obrigatoriedade de fiscalização por parte da guarnição.

Desta resulta, que o condutor deste veículo Cleiton da Silva evadiu-se em alta velocidade da tentativa de abordagem pela guarnição, e nesta, alcançando via não pavimentada e sinuosa do caminho da fuga, veio a perder o controle da direção, chocando-se contra uma elevação do terreno e, deste episódio se faz constar da Perícia Técnica exarada nos autos do IPM, que o mesmo sofreu, causa mortis, de um traumatismo cranioencefálico quando do choque de sua parte frontal da cabeça contra o para-brisas. Ainda, do relatório se faz registrar que devido, provavelmente, a dosagem considerável de adrenalina em seu sangue o mesmo tenha tido energia suficiente para o deslocamento do local do acidente até onde fora encontrado sem vida.

Resta ainda informar, que remanesce dos autos e conclui-se do relatório, que não foram encontrados indícios de cometimento de crimes pelos militares atendentes desta ocorrência, nem   mesmo infração disciplinar foi verificada.

Categorias: Destaques,Notícias,Trânsito e Segurança