FACE DO FRACASSO

Olhei-me no espelho,
E me vi, vi o que eu faço
Embriagado, olhos vermelhos
Esta é a face do fracasso

Faço tudo que posso
E o que não posso, eu não faço
Cheguei ao fundo do poço
Mas o buraco, é mais em baixo

Perdi outra vez, perdi de novo
E nada disso é algo novo
Pra mim

E sempre quando em setembro
Desde que eu me lembro
Tem sido o fim!

Poeta Eduardo Bechi

Categories: Cultura e Educação,Notícias Gerais