Diante do Abismo

Diante do abismo parei e refleti:
– Sobre o que da minha vida eu fiz?
Passou-me como um filme o que já vivi:
Fatos que me fizeram triste e feliz!

E ali, com o abismo todo na minha frente,
Aberto, profundo, temeroso e sombrio
Tive medo que num lapso momento, de repente,
Ele se zangasse de meus lamentos vazios!

Quanto mais o olhava, mais amedrontado ficava,
Pois parecia que eu era maior que o próprio abismo
Que a minha frente se estendia quase sem fim…

Quando parei para olhar o fundo do abismo,
Notei que com mais interesse o abismo olhava
Para dentro de mim.

Poeta Eduardo Bechi

Do livro “BIVERSOS – A união de dois universos poéticos!” de Eduardo Bechi e Douglas Mateus, Editora Nelpa, 2013

Categorias: Cultura e Educação