DENTRO DO TREM DA VIDA

JÁ FAZ muitos anos que o último trem por aqui passou;
E a tantos anos espero o momento de reencontrar:
A minha infância que foi para sempre em algum vagão
E me deixou somente a certeza que não vai voltar!

No trem da vida que avança nos trilhos à nova estação;
E é em vão que busco tardar o final da linha!
Eu busco encontrar a pureza da vida e uma razão
Para escrever a mão e a pena a história que é minha!

Oh! Trem na beira do rio me traga de volta
A pura inocência de uma criança que em mim se perdeu!
Me traga de volta o doce sabor da minha infância!
E jogue as lembranças amargas da vida pra dentro do rio!

Eu sei que este trem que apita na curva não pode voltar…
Passagem de ida a gente já compra antes de nascer
Mas tenho esperança que um dia eu ainda irei encontrar
Na minha velhice a velha criança que eu vi se perder!

Poeta Eduardo Bechi

Poesia publicada no livro “As folhas que não caíram no inverno”, 2007, de Eduardo Bechi. Todos os direitos reservados.

Categorias: Cultura e Educação