CHAMAS DA SAUDADE

DENTRO DE mim uma saudade queima,
Uma saudade queima e não dilui.
E a noite o meu sonho teima
Em mostrar-me imagens do que fui.

Hipocondrismo — resultado que atormenta:
Fere-me por dentro, fere-me com furor.
Quando acordo da noite — da tormenta
Decai meu semblante, decai meu humor.

Verve dentro de mim a saudade,
Viva e ardente como chamas,
Adentra minha alma com vontade,
A calma me falta sobre a cama.

Quem mo dera ver-te outra vez,
Entrar nos teus pátios e residir.
Queimar minha saudade com avidez
E a noite ter a paz para dormir.

Poeta Eduardo Bechi

Publicado no livro “as folhas que não caíram no inverno”, 2007, Eduardo Bechi

Categorias: Cultura e Educação