Ação da PM no meio-oeste reacende conflito entre Polícias

PM de Campos Novos matou 2 e levou armas, celulares e dinheiro ao quartel para investigar os crimes. Mesmo com portaria da SSP regulando a matéria, a Polícia Militar descumpre a Constituição Federal, o Código de Processo Penal e a ordem superior que veda a investigação de crimes que não são de sua atribuição, no caso em exame homicídio, porte ilegal de arma, possível receptação (2 carregadores de pistola que estavam com os criminosos seriam da própria PM) e furto.

Segundo a PM: “Guarnição de Brunópolis deslocou até a referida cooperativa, onde após intensa troca de tiro, alvejou um masculino identificado posteriormente como sendo A. A. M. J. de 20 anos o qual ficou em óbito no local, e localizado posteriormente em meio à vegetação o segundo autor em óbito identificado como sendo T. M.S de 30 anos, o qual possui mandado de prisão em aberto da comarca de Herval D’Oeste, os mesmos já eram conhecidos no meio policial pela prática de furto e porte ilegal de arma de fogo, sendo na oportunidade apreendida em posse dos autores duas pistolas, uma calibre 38 com carregadores e outra de uso restrito, calibre 40 com três carregados, além de munições, rádio comunicador e dinheiro subtraído da empresa. […] O comandante da PM Cap. Pedroso informa que a PM está trabalhando para identificar os demais envolvidos.”

Para a ADEPOL/SC, essas ações da PM, que não respeitam as leis e as decisões judiciais, vão levar a um conflito sem precedentes, que vem se agravando com a diferença de tratamento dada pelo Governo em vários pontos, fatos que prejudicarão toda a sociedade, sendo necessária a pronta intervenção do Governo do Estado para determinar que as duas corporações exerçam tão somente suas atribuições e ponto final.

Segundo o Presidente da ADEPOL/SC, Ulisses Gabriel, “o desrespeito a recentes decisões do STJ sobre o tema, além de posições de vários outros tribunais, não colabora em nada para a melhoria da Segurança Pública, pois a PM, em vez de realizar suas atribuições e evitar que o crime aconteça, quer fazer um trabalho que não é seu, ensejando uma bagunça na persecução penal”.

A Polícia Civil vai representar ao Poder Judiciário de Campos Novos para que delibere sobre esse conflito de atribuição, tal como já ocorreu na Comarca da Capital.

Diretoria da ADEPOL/SC

Categorias: Destaques,Notícias,Região,Trânsito e Segurança